COPOM reduz taxa SELIC a 7%

Olá amigo,

Hoje vamos tratar de um assunto muito atual e que é de interesse de todos os investidores: a reunião do COPOM.

Acontece que ontem (06/12/2017) foi finalizada a reunião do COPOM (Comitê de Política Monetária) e, como resultado, foi divulgada a nova meta da SELIC que passou de 7,5% para 7%.

Se você acompanha notícias, ainda que básicas, sobre economia, você com certeza viu que este foi praticamente o assunto do dia e que esta é a menor taxa histórica.

No entanto, este corte já era esperado pelo mercado, então não houve grande espanto quando a decisão do Comitê foi divulgada.

Sempre observe as previsões sobre o mercado antes de fazer investimentos para longo prazo!
É importante observar o que te espera no horizonte antes de investir.

O que me preocupa é que, apesar da taxa básica de juros diminuir, os custos de serviços bancários e/ou de cartão de crédito não são reduzidos na mesma proporção.

Ainda, por mais que se fale que “os juros reais estão melhores porque a inflação está menor”, eu discordo.

Isto porque, por mais que os números apontem para uma inflação comportada, na prática, e pelo menos para mim, o preço dos produtos continuam aumentando no mesmo ritmo.

Portanto, é um momento de investir com cuidado e pensar em várias circunstâncias que vão influenciar seus investimentos no futuro:

  • manutenção dos cortes da meta da SELIC;
  • 2018 é um ano de eleições nacionais e que, possivelmente, vai mexer com o mercado nacional;
  • muito se fala em aumento da meta da SELIC no final de 2018, mas para 7%;
  • renda fixa ficando para trás quando comparada à renda variável;
  • valorização da BitCoin e algumas outras criptomoedas.

O que fazer em tempos de incerteza?

Primeiramente, não existe uma “receita de bolo” quando o assunto é investimento.

Mas uma recomendação que serve para o investidor manter sua carteira segura (e isso serve mesmo para tempos de segurança e estabilidade do mercado) é diversificar seus investimentos.

Procure distribuir seus investimentos em títulos pós-fixados atrelados ao CDI, atrelados ao IPCA e, se a taxa estiver interessante, busque pré-fixados também.

Você também pode avaliar ingressar na renda variável, como Fundos de Investimento (seja multimercado, seja de imóveis ou ações), pois você somente vai aumentar a rentabilidade caso aumente sua exposição aos riscos.

Ademais, você deve manter seu plano de investimento.

A parcela que você investe para longo prazo, continue com a estratégia de longo prazo.

Também não vale muito a pena girar dinheiro investido em algo que serve como fundo de emergência (a não ser que você saia de uma poupança para ir para um CDB 100% CDI com liquidez diária hahaha).

Agora, se você possui dinheiro para arriscar um pouco, pode valer a pena entrar em alguns fundos de investimento, procurar ações sólidas e também criptomoedas (COM CAUTELA).

 

Pesquisar antes de fazer seus investimento é essencial para garantir bons rendimentos
Sempre pesquise antes de realizar seus investimentos, só assim você pode garantir uma boa performance da sua carteira!

Apesar dessas informações, sempre pesquise bem antes de “travar” seu dinheiro!

O maior risco de quem investe por conta própria em renda fixa é tomar decisões precipitadas e investir em algo que não vai oferecer a melhor rentabilidade para o período!

Ainda vou escrever sobre criptomoedas e fundos de investimento, mas pretendo terminar de cobrir a renda fixa antes!

Se tiver alguma sugestão, dúvida e/ou crítica mande uma mensagem!

Recentemente criei uma página no facebook para facilitar a divulgação dos textos, você pode curtir no menu lateral e visitar para ver as novidades com a comodidade do facebook!

 

Um grande abraço!

Objetivos, hábitos e independência financeira

Independência Financeira – post inicial: objetivos e hábito de investir

 

Olá amigo,

Hoje o texto é um pouco mais reflexivo do que informativo.

Você sabe o que é independência financeira?

É um conceito de depende de ponto de vista, o que para mim é independência financeira pode não ser para você.

Mas existe uma certeza, para chegar lá é necessário esforço e disciplina!

No meu caso, independência financeira é atingir um ponto onde as minhas despesas vão ser absorvidas pelos rendimentos dos meus investimentos.

Ou seja, os rendimentos dos meus investimentos vão superar todos os meus gastos com habitação, comida, transporte, lazer e etc.

Obviamente é um objetivo de longo prazo e que eu tenho consciência de que não vai ser fácil realizar, mas estou disposto a fazer o possível para chegar lá!

Assim, na minha opinião, todos que investem deveriam traçar algumas metas e objetivos de curto, médio e longo prazo.

Eles servem para facilitar a sua vida financeira, bem como para deixar essa tarefa mais tranquila ao longo do tempo.

 

Independência Financeira é um processo longo mas recompensador
Com o tempo você percebe que o seu esforça gera resultados!

 

Como organizar as minhas metas e objetivos?

Existem várias maneiras de fazer isso, como estabelecer que em um ano você quer investir X mil reais, ou que durante um ano você vai investir dinheiro para sua viagem de férias do ano seguinte.

É um processo que exige disciplina e planejamento.

Desta forma, você evita de parcelar a viagem e, dependendo do caso, consegue aproveitar promoções e descontos!

Funciona da mesma forma para médio e longo prazos.

Se o seu objetivo é comprar um carro, uma casa, um apartamento, planejar uma viagem e até uma festa, o ideal é se planejar com antecedência e investir de antemão!

Com o passar do tempo, investir vai se tornar um hábito e você vai sentir, assim como eu quando comecei a perceber o poder dos investimentos e dos juros compostos, como é bom ter investido e ver seus rendimentos mês a mês.

 

Há um longo caminho pela frente, há meios de deixá-lo mais tranquilo!

 

É fácil falar em investir, mas não consigo guardar dinheiro!

Veja, a maioria das pessoas pensa que o dinheiro de investimento é “o que sobrar no final do mês”.

Este pensamento está equivocado e acaba fazendo com que você enrole e sabote o seu próprio futuro.

Por que?

Se você fica com seu dinheiro na conta disponível para pagar tudo aquilo que você “precisar”, você tem a sensação tranquilidade e poder, compra coisas desnecessárias e desperdiça dinheiro.

É tudo poder de hábito.

Faça uma experiência e registre TUDO o que consome, todos os pagamentos que você faz, sem exceções.

Se você usa seu dinheiro apenas com o essencial e, por esta razão, lhe falta dinheiro para investir, talvez você deva reavaliar a sua situação e pensar em formas de ganhar mais dinheiro (seja buscando qualificação, outro emprego ou atividades paralelas),

No entanto, a grande maioria das pessoas vai perceber que desperdiça dinheiro com bobagens, como tomar café todos os dias numa padaria, comer em restaurantes durante todos os dias da semana, ter plano de internet que sequer usa metade da franquia, pagar academia sem sequer frequentar… a lista vai longe.

Se este for o seu caso, você deve ter percebido que os valores são consideráveis não é? Imagina o estrago que isso faz durante o ano!

 

Alguma resposta então para evitar o desperdício?

No meu caso, a solução que encontrei foi separar o dinheiro para investimentos antes mesmo de pagar as contas.

Trato esse dinheiro como se fosse uma parcela de dívida.

De forma religiosa transfiro o dinheiro para contas de investimento e, só depois, vou avaliar o que tenho que pagar e quanto dinheiro tenho disponível para “gastar”.

Não preciso falar que tenho noção dos meus gastos para evitar surpresas, né?

Você acaba adquirindo um costume de viver com o que você precisa, e não com aquilo que as empresas querem que você ache que precisa.

Assim você consegue driblar de forma inteligente o consumismo.

Pode até parecer estranho, e vou escrever sobre isto, mas o mercado vive do consumo e nosso dinheiro é o combustível.

 

Conclusão

A estrada é bem longa para se atingir o objetivo final, o caminho não é nada fácil, mas se você fizer um planejamento e se manter constante, pode ter certeza que vai chegar lá!

Mudar o estilo de vida e mudar sua forma de pensar são tarefas muito complicadas, mas são dois fatores que facilitam demais a vida de quem pretende guardar dinheiro para investir.

Pretendo escrever mais sobre o tema, mas fica este aqui como post inicial.

Espero que tenha sido uma boa leitura!

Um grande abraço.

 

TL;DR: Investimento deve se tornar um hábito para fazer você atingir suas metas.

Estabelecer objetivos com prazos variados ajuda para planejar os investimentos.

Saber quais são suas despesas e conter os gastos desnecessários é essencial para cumprir seus planos.

Análise da minha carteira – outubro de 2017

Olá amigo,

 

Demorei um pouco para escrever sobre o mês de outubro, mas finalmente vou fazer uma análise breve.

Mais uma vez, após as sucessivas quedas dos juros, a renda fixa tem sofrido com rendimentos menores do que estava acostumado, mas isso já era esperado.

Com relação à renda variável, tenho que o rendimento baixo se deu por conta do fim do ânimo todo da Bovespa.

Assim, o mercado esfriou um pouco e isso acabou por derrubar um pouco o rendimento de muitos investidores e fundos multimercado (genericamente falando).

No entanto, já existe sinalização de recuperação do investimentos e novo fôlego, por isso que é necessário ter sempre uma visão de prazo mais longo na hora de investir e saber qual seu perfil de investidor.

A tendência é que, diante da estabilização econômica e, possivelmente, a recuperação da confiança do investidor estrangeiro no Brasil, as taxas dos investimentos fique menor a partir de dezembro.

Lembrando que essa é uma leitura situacional, nada impede que aconteça um fato relevante que mude o cenário atual.

Sobre o rendimento da carteira

Na análise do rendimento total dos meus investimentos, o resultado foi tímido.

0,65% na renda fixa, sem novo aporte e 3,36% na total, com um “grande” aporte em fundo multimercado.

 

Variação mensal dos investimentos - total e renda fixa - outubro de 2017
Variação mensal dos meus investimentos – referência: Outubro/2017

 

Se formos ver bem, tivemos uma pequena desvalorização das cotas do fundo e, ainda, dentro deste montante, estão os valores investidos em Tesouro Direto (cujo valor dos títulos teve uma série de altas no final de outubro de começo de novembro).

A alta das taxas do Tesouro fez com que os valores caíssem ainda mais, mas isto não é problema, pois, para mim, o que vale é o valor no vencimento.

Ainda assim, desde maio deste ano, a variação total da carteira foi de +28,77% e a variação da carteira de renda fixa foi de +9,23%, o que considero satisfatório.

Note que, dentro da variação, eu conto meus aportes, logo há distorção e isto não reflete o rendimento real.

 

Já a composição da carteira teve um leve aumento em fundos (pulando para 15,5%) e que causou uma diminuição do montante dos outros tipos de investimento (21,4% de tesouro direto e 63,1% de renda fixa).

 

Composição simplificada da carteira - outubro de 2017
Composição simplificada da carteira – referência: Outubro/2017

 

O que vou fazer a partir de agora é observar com mais atenção antes de investir, pois poderia ter aproveitado oportunidades melhores (principalmente durante essa semana de “black friday”).

Dentro dessas oportunidades eu me refiro à renda fixa.

Alguns CDBs e LCs que, dentro dos meus objetivos, cairiam muito bem, mas que deixei de aproveitar por ter alocado tudo em fundos multimercado.

Apesar de não me arrepender, creio que poderia ter tomado uma decisão mais acertada.

 

Sobre os anúncios

Pretendo manter, mas vou testar conforme passar o tempo, para que não fique um visual poluído ou prejudique a leitura.

O objetivo é tentar abater parte do custo da hospedagem, pois é bem difícil ganhar dinheiro com publicidade desta forma.

Finalmente, estou preparando um simulador e gráfico de juros compostos, espero conseguir fazer funcionar em breve!

 

Um grande abraço!