O que é SELIC? Como funciona?

 

O que é SELIC?

O que é SELIC?

SELIC significa Sistema Especial de Liquidação e de Custódia. A taxa SELIC é a taxa obtida através da média ajustada dos financiamentos diários para titulos públicos federais.

A taxa SELIC também é chamada de taxa básica ou taxa média do over e, assim como o CDI, serve para indexar as operações de curto prazo entre os bancos, mas a diferença é que a SELIC é calculada com base na garantia em títulos públicos (papéis que o governo federal emite em favor dos bancos ao tomar dinheiro emprestado, de forma simples).

Por esta razão, como as operações estão garantidas pelo próprio governo (pois sao títulos emitidos por ele que servem como lastro dos empréstimos), a taxa SELIC acaba por servir de referência para todas as outras taxas de juros da nossa economia.

 

Como funciona a SELIC? O que é COPOM?

A SELIC, por se comportar de forma muito semelhante ao CDI, tem a variação bem parecida: diária.

No entanto, nós sempre ouvimos falar que o COPOM (Comitê de Política Monetária) abaixou ou elevou a taxa. Só que, na verdade, o COPOM apenas determina a meta da SELIC.

Para efeitos práticos esta informação não serve muito, porque a SELIC, de fato, sempre fica muito próxima à meta estabelecida pelo COPOM.

Por ser taxa básica, a SELIC normalmente é a taxa mais baixa que temos, mas isso pode não ocorrer em cenários onde o governo está praticando uma polítia monetária restritiva visando diminuir a inflação.

Neste caso, a SELIC pode ser mais alta no momento atual do que as taxas para longo prazo, porque o mercado acredita que a política monetária adotada vai reduzir a inflação e acarretar numa queda de juros no longo prazo (o mercado vai se adaptando conforme as circunstâncias).

 

O que o SELIC tem a ver com meus investimentos?

A SELIC afeta diretamente os investimentos de renda fixa (indexados ao CDI: CDB, LCI, LCA, LC, Debêntures e até Fundos de Investimento), pois ela está ligada diretamente com o CDI, ou seja, se a taxa SELIC aumenta, o rendimento dos seus investimentos feitos em porcentagem do CDI (X% do CDI) também aumenta, e se ela diminuir, o mesmo ocorre com a rentabilidade dos seus investimentos.

 

SELIC alta ou SELIC baixa? Qual é melhor?

A economia funciona de forma equilibrada, pelo menos teoricamente.

Se os juros estão altos, quer dizer que seus investimentos vão render mais.

Com a SELIC mais alta, o interesse de estrangeiros em investir no Brasil também cresce. Assim, aumenta o fluxo de dólares para o mercado interno e, por essa razão, o dólar fica mais barato, puxando o preço dos produtos importados para baixo.

Ainda, a SELIC alta influencia nos juros cobrados pelos bancos e na dificuldade para conseguir empréstimos, pois haverá maior custo para os próprios bancos captarem dinheiro (eles vão ter que pagar mais caro para ter o dinheiro).

A alta da SELIC pode gerar um efeito em cadeia e encarecer o valor de produtos que chegam a nós (o dinheiro ficará mais caro), ou seja, não adianta o seu dinheiro investido render mais se o preço para viver também vai ser elevado.

Por isso o ideal é que exista harmonia.

O Banco Central do Brasil disponibiliza a meta atual, a taxa SELIC atual, bem como um histórico completo.

 

Espero que tenha sido esclarecedor, apesar desta informação, sozinha, não ser de inestimável serventia, ela se complementa e é um conhecimento praticamente fundamental.

Deixe seu comentário caso tenha dúvida, sugestão, crítica ou caso queira apenas deixar uma mensagem!

Um grande abraço.

 

 

Poupança: está valendo a pena investir?

Poupança: está valendo a pena investir?

Olá amigo,

Hoje vamos tratar de um assunto que ainda é discutido entre pessoas que estão começando a investir, que é a poupança.
Com as consecutivas baixas da SELIC e do CDI, será que investir na poupança está valendo a pena? É o que nós vamos ver!

 

 

Existem diversos investimentos que são melhores que a poupança

Como funciona a caderneta de poupança?

Primeiramente, você sabe como é que a poupança funciona?

De acordo com a atual legislação, ela pode funcionar de dois jeitos e isso vai ser de acordo com a meta da SELIC.

  • Se a meta da SELIC estiver igual ou maior a 8,5% ao ano, a remuneração da poupança vai ser de 0,5%+Taxa Referencial por mês.
  • Se a meta da SELIC estiver abaixo de 8,5% ao ano, a remuneração vai ser de 70% da SELIC+Taxa Referencial (devidamente “mensalizado”) por mês.
  • Nota importante: para depósitos feitos na caderneta de poupança até 03 de maio de 2012, a regra que vale é a antiga, ou seja, continua de 0,5% ao mês+Taxa Referencial.

Esse mecanismo serve para que o governo não tenha que pagar muito caro se a SELIC cair demais, fazendo com que o rendimento da poupança ficasse superior aos outros tipos de investimentos.

O motivo de muitas pessoas ainda preferirem ela é a sua simplicidade, pois é possível “investir” de forma muito fácil e rápida. Além do fato de não haver cobrança de imposto de renda.

No entanto, isto também é uma armadilha, pois, por exemplo, os rendimentos da poupança só acontecem uma vez por mês na chamada “data de aniversário”.

Mas vamos manter o foco no artigo.

 

O que é a Taxa Referencial?

A taxa referencial é uma taxa de juros criada em 1991 durante o chamado Plano Collor II, ela fazia parte de um conjunto de medidas visando controlar a infação

Atualmente ela é usada no cálculo de rendimento de alguns tipos de investimento como títulos públicos, poupança, financiamentos do Sistema Financeiro de Habitação, seguros e pagamentos a prazo.

Ela é calculada pelo Banco Central, que tira uma média dos Certificados de Depósito Bancários (CDBs) prefixados das 30 maiores instituições financeiras do país.

O grande problema é que a Taxa Referencial tem um valor muito baixo (foi de 0% nos meses de setembro e outubro  de 2017), conforme pode ser observado neste histórico.

 

Por que as pessoas investem na poupança?

Como citei acima, as pessoas investem na poupança em razão da simplicidade (apenas aparente) onde elas transferem o dinheiro para a conta poupança e o dinheiro passa a render.

Outra vantagem é a isenção ao recolhimento de Imposto de Renda.

Finalmente, para completar o pacote, há a liquidez, que traz a possibilidade ao investidor de resgatar seu dinheiro a qualquer tempo, dando uma sensação de segurança, vez que sempre que precisar o dinheiro vai estar ali ao seu alcance.

 

Quais as razões para não investir na poupança?

São inúmeras as razões para fugir da poupança.

A principal delas é a rendimento, que é muito baixo quando comparado aos demais investimentos disponíveis no mercado.

Veja, se você investir num Certificado de Depósito Bancário (CDB) que paga 100% do CDI, mesmo pagando imposto de renda sobre seus rendimentos, você obteria um valor maior ao final de 1 ano, por exemplo.

Comparação - Poupança X CDB 100% CDI
Comparação entre um investimento na poupança e um investimento em CDB que paga 100% do CDI – prazo de 1 ano e investimento de R$ 10.000,00

Isto ocorre por conta do mecanismo que eu citei no começo deste post.

Com a SELIC abaixo de 8,5%, a poupança está rendendo 70% da SELIC mais a Taxa Referencial.

Ocorre que esse valor da poupança, na prática, sempre fica inferior ao que renderia um investimento que paga 100% do CDI, mesmo pagando imposto de renda.

O pior é que, quanto maior o prazo, pior fica o rendimento da poupança se comparado a outros investimentos, por conta do funcionamento dos juros compostos.

 

Existe investimento tão seguro quanto a poupança e que rende mais?

Existem diversas opções que são “tão seguras quanto a poupança” e que rendem mais.

Veja, o próprio Tesouro Direto rende mais que a poupança e é garantido pelo próprio Governo Federal.

Além disso, investimentos como CDB, LCI, LCA, LC, RDB, Letras Imobiliárias e Letras Hipotecárias possuem garantia do Fundo Garantidor de Crédito, o FGC, que é uma espécie de seguro para investidores que cobre até R$ 250.000,00 por instituição financeira por CPF.

 

 

Desta maneira, é fácil concluir que a poupança é pior que os investimentos médios que temos disponíveis no mercado, ou seja, não está valendo a pena.

Para melhorar seus rendimentos é necessário sempre estudar e se atualizar, pois somente assim você pode determinar qual o melhor investimento para fazer com o seu dinheiro!

 

TL;DR: A poupança tem rendimento pior se a meta da SELIC estiver abaixo de 8,5% ao ano. Isto faz com que ela continue não valendo a pena na maioria dos cenários.

 

Um grande abraço!

Sobre a NuConta: Primeiras impressões

Sobre a NuConta: Como funciona na prática?

Primeiramente, gostaria de deixar claro que atualmente a NuConta está disponível apenas para “beta testers”, ou seja, para pessoas que participam do desenvolvimento de um produto fazendo testes como se fossem usuários comuns, assim conseguem identificar bugs, falhas de segurança e erros do produto.

Isto dito, preciso complementar que eu não sou beta tester e que essas informações foram retiradas de outro lugar, mais especificamente o blog da Magnetis.

Assim que eu tiver acesso à NuConta vou complementar este post e dar as minhas opinições pessoais, apesar de que a sensação inicial que tive parece se confirmar: é uma boa como conta digital, mas não como investimento (se for comparar com os demais investimentos disponíveis no mercado).

 

Ativando a NuConta

O convite para ativar é recebido pelo próprio aplicativo no seu celular.

Convite NuConta na tela
Convite surge no próprio aplicativo do cartão NuBank. (Crédito: Blog Magnetis)

 

Assim que você aceita o convite, você vai receber os dados para transferência, seja de uma conta externa para a sua NuConta, seja para transferências entre NuContas (que podem ser feitas via QR code).

Dados da NuConta com QR Code.
Página com dados para transferência de valores para sua conta. (Crédito: Blog Magnetis)

Não há possibilidade de fazer depósitos, em dinheiro ou por meio de boleto (como há no Banco Inter), para a sua NuConta. O único jeito de colocar dinheiro na sua conta é através de TED.

Apesar de não haver cobrança para transferir valores da sua conta para qualquer outro lugar, pode ser que o banco de onde você vai transferir o dinheiro cobre um taxa para fazer o TED.

Ainda, não é possível sacar dinheiro direto da NuConta. Se você quiser retirar o dinheiro, será necessário transferir para um banco e, ai sim, poderá sacar (Há opção de saque utilizando o cartão de crédito, mas, neste caso, a oneração é grande demais e não vale a pena).

O próprio NuBank informou que a conta deles não substitui uma conta corrente, por ora, e que vão adicionar novas funcionalidades com o passar do tempo.

Por isso é importante ter uma Conta Corrente Digital

 

Utilizando a NuConta

No próprio aplicativo, é possível consultar o saldo de sua conta, bem como os rendimentos que você obteve.

Informações sobre rendimentos e descontos estão disponíveis no próprio aplicativo.
Tela onde são informados os rendimentos e descontos da conta.

É importante lembrar que:

  •  há cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre os rendimentos se você retirar o dinheiro antes de 30 dias da aplicação – de forma regressiva para 1 dia é de 96% até 29 dias que é 3%.
  •  há cobrança de IR (Imposto de Renda) sobre os rendimentos do valor depositado na sua conta (que também é regressiva de acordo com o tempo de investimento).

O dinheiro depositado na NuConta é automaticamente investido em um título público indexado à SELIC (ou seja, Tesouro SELIC) com prazo de 2 anos, que rende 100% do CDI.

Assim, temos que é um investimento de baixo risco, OK!

No entanto, a aplicação não é feita em nome do correntista, mas sim em nome do Nubank.

Há uma vantagem, não há cobrança da taxa de custódia de 0,3% ao ano, sobre o total dos valores investidos, que existe no Tesouro Direto, mas o Nubank cobra 1% sobre o rendimento dos valores que você investiu.

 

NuConta como investimento vale a pena?

Ela é, de fato, bem fácil e intuitiva de usar. Vai com certeza facilitar a vida de pessoas sem conhecimento sobre investimentos.

Contudo, para quem já investe e estuda sobre o assunto, só vejo duas utilidades para a NuConta:

  1. Conta digital – possibilidade de movimentar o dinheiro sem ter que pagar taxas (com o porém de que, pode haver custo para enviar dinheiro para a sua conta, caso você não tenha algum meio gratuito de realizar TEDs), e
  2. Dinheiro com liquidez para imprevistos – por ser possível transferir o dinheiro a qualquer tempo, você pode deixar uma pequena quantia de dinheiro lá, com rendimento razoável, para pagar contas, para emergências, para ter um valor maior e investir em algo que exija um capital mínimo maior.

 

Esse fato fica mais evidente se você comparar o rendimento da NuConta com outros investimentos para médio e longo prazo.

Mesmo se for comparar para o prazo de 1 ano, um CDB que pague 100% do CDI vai render mais que a NuConta.

Comparação entre investimentos para saber se a NuConta é válida como investimento.
Comparativo. A Taxa SELIC utilizada foi de 7,40% ao ano.

 

Conclusão

Apesar de ser uma ferramenta que vejo como inovadora, a NuConta ainda não pode ser chamada de conta corrente digital, pois lhe faltam algumas funcionalidades essenciais.

Como investimento, ela vai servir para pessoas que estão começando e para manter pequenos valores rendendo por curtos períodos.

No entanto, para quem já tem experiência e para quem já possui objetivos definidos, definitivamente existem inúmeros investimentos que valem mais a pena.

Assim, caso tenha a oportunidade, acho válido abrir uma conta no Nubank, mas não a utilizaria como um investimento principal e manteria uma conta digital para as principais movimentações da minha vida financeira.

 

TL;DR: NuConta tem uma proposta interessante e inovadora, mas lhe faltam funções para ser chamada de conta corrente digital.

Como investimento é razoável e espero que ela continue evoluindo, pois vai ser uma ferramenta boa para nós!

O que é CDI? Como funciona?

Olá, meu amigo!

Hoje começo a série de posts chamada de “O que é?” onde vou trazer definições e tentar deixar o mais claro possível alguns nomes e termos que a gente sempre ouve e lê quando fala sobre investimentos.

O que é CDI?

 

O que é CDI?

CDI nada mais é do que uma sigla para Certificado de Depósito Interbancário.

De forma bem simples, o CDI é um mecanismo que os bancos usam para não fecharem o dia com saldo negativo, ele serve para fazer o mercado financeiro funcionar de forma harmoniosa, porque um banco que recebeu muitos depósitos pode, no mesmo dia, emitir um CDI em favor de um banco que teve muitos saques.

 

Como funciona o CDI?

O CDI serve como referência (benchmark) para rentabilidade de diversos tipos de investimento, tanto em renda fixa quanto em renda variável, por esta razão ele é de suma importância para nossos investimentos.

Isto ocorre porque, por ele ser um instrumento de empréstimo rápido entre instituições financeiras, ele é tido como sinônimo de risco mínimo no questão de empréstimo (risco de não receber).

 

O que o CDI tem a ver com meus investimentos?

O CDI, como dito acima, é uma referência para muitos tipos de investimento.

Você com certeza já viu algum investimento que rende X% do CDI ou que tem como objetivo superar o CDI.

Isto quer dizer que o investimento rende uma porcentagem fixa com base no valor do CDI ou busca render mais que o CDI. O valor do CDI pode ser conferido no site da CETIP.

Como exemplo, imagine que  você investiu numa LCI (Letra de Crédito Imobiliário) que paga 90% do CDI. Isto quer dizer que o dinheiro que você aplicar vai render 0.9 vezes o CDI.

Para se ter uma idéia, hoje (01/11/2017), o CDI é de 7,39% ao ano. O que significa que o seu investimento vai render 6,65% ao ano.

 

Como é calculada a taxa DI ou CDI?

A forma com o CDI é calculado é complexa.

Calma, você não precisa ficar preocupado com cálculos complicados porque, em regra, o CDI acompanha a SELIC e é sempre um pouco menor.

A razão para o CDI acompanhar a SELIC é simples, mas parece complicada. Os bancos, ao emprestarem ou tomarem dinheiro público emprestado, estão sujeitos à SELIC.

Por outro lado, quando negociam empréstimos entre si (banco com banco) estão lidando com o CDI.

Se houvesse uma diferença muito grande entre as duas taxas, seria possível auferir lucro emprestando dinheiro que o próprio banco pegou emprestado (arbitragem).

No entanto, se um banco faz isso os outros bancos logo percebem, o que faria que as taxas entrassem em equilíbrio novamente com base na lei da oferta e da demanda.

 

O rendimento de investimentos de porcentagem do CDI é baixo?

Não.

Na verdade, o que acontece hoje é que houve uma queda contínua da SELIC (e por consequência do CDI), tal fato acarretou na perda de rentabilidade dos investimentos pós-fixados (que são atrelados ao CDI).

Mas, como o próprio nome diz, são investimentos pós-fixados, ou seja, da mesma forma que a rentabilidade está baixa HOJE, pode ser que durante o prazo do seu investimento as taxas subam e seu rendimento aumente.

Assim, não se deixe enganar, a remuneração atual não é das mais atrativas, mas, ainda assim, continua sendo uma alternativa melhor que a poupança ou deixar o dinheiro parado.

Deixe seu comentário caso tenha dúvida, sugestão, crítica ou caso queira apenas deixar uma mensagem!

Um grande abraço.

 

Conta Corrente Digital – Vale a pena?

Contas Digitais – Saiba o que são e porque você está perdendo dinheiro se não possui uma.

 

Olá, meu amigo!

Iniciando a série de posts introdutórios, vou falar um pouco sobre as contas digitais. 

Estas maravilhas foram criadas num passado não muito distante.

Para você ter uma idéia, a extinta Conta Eletrônica do Banco do Brasil teve vigência da tabela de tarifas mais recente a partir de 28/09/2016. Existiram também a Digiconta do Banco Bradesco e a iConta do Banco Itaú.

Oras, se elas não existem mais, por qual motivo eu estou falando sobre elas?

 

Qual razão de falar sobre contas digitais?
Por que falar de contas digitais se elas não existem mais em bancos grandes?

 

Para te mostrar o quanto você perde se não possuir uma!

O principal motivo para esse tipo de modalidade ter sido abolida em três dos principais bancos que operam no Brasil é bem simples: eles lucram menos com isso.

Eu acredito que a idéia surgiu como um teste e, não sei se o resultado foi bom ou não, só sei que não é mais possível abrir ou migrar a sua conta para esse tipo nos bancos citados.

Essa notícia é muito triste, sim!

 

Ok, mas qual a grande vantagem desse tipo de conta?

Como você vai poder conferir nos arquivos em PDF que estão disponíveis no final do post, não há cobrança de tarifa para nada que seja feito via internet ou autoatendimento.

Ou seja, você pode pagar contas, transferir, fazer TEDs e DOCs, realizar saques e retirar extratos de forma ilimitada e sem pagar!

A vantagem imediata, para quem sequer investe, eu não preciso explicar, né?

Só que vamos além! Para quem investe isso é uma vantagem enorme, pois você vai ter que transferir seu dinheiro para contas de investimento em outras instituições e, caso tiver que pagar, vai perder parte do seu dinheiro de forma desnecessária!

 

Mas eu não pago nada pela minha conta corrente!

Meu amigo, não se engane. Se a sua conta corrente não for numa dessas modalidades e você for cliente de um desses bancos, você paga, mas não sabe quais são os serviços pelos quais você paga.

Veja, o Banco Central do Brasil em 2010, na Resolução n. 3.919, determinou que todos os bancos devem manter uma cesta de serviços chamada de “Serviços Essenciais”.

São esses o serviços essenciais que o Banco Central obriga os bancos a te fornecer de graça!
Aqui você pode ver os serviços que estão disponíveis para quem possui conta corrente com pacote de serviços essenciais.

 

Só que, como você mesmo pode ver, há uma série de limitações e restrições nesta modalidade.

Uma delas é a cobrança de transferências via TED e DOC (já citei a importância disto).

Assim, falar que você possui uma cesta de serviços essenciais e não paga nada pelos serviços de um banco grande não passa de uma ilusão.

 

Está tudo perdido?

Não!

Atualmente ainda existe a conta digital do Banco Inter (ex-Banco Intermedium), que possui o mesmo modelo das contas citadas, mas é um banco que não é tão conhecido (atual patrocinador do time de futebol do São Paulo).

Uma atenção especial que, ao ler o contrato do Banco Inter, percebi que sempre há menção à liberdade dada ao Banco de cobrar ou não valores referentes à tarifa, então é bom ficarmos ligados quanto a isso. 

Além do mais, neste mês (outubro de 2017), o Nubank anunciou o lançamento da NuConta, com a promessa de ser uma conta digital e, de quebra, vai deixar o seu dinheiro que, teoricamente ficaria parado na conta corrente, investido com rendimento de 99% do CDI.

Apesar de não ver com empolgação a NuConta como forma de investimento, vejo com bons olhos a iniciativa da conta digital no modelo totalmente livre de tarifas.

Fora estas duas contas, existem opções que são pagas, mas oferecem algumas vantagens.

A princípio não vou falar sobre elas, pois o objetivo aqui é mostrar somente as contas digitais que são gratuitas e, além disso, mostrar as desvantagens de não se ter uma conta digital!

 

Um grande abraço!

 

TL;DR: Conta corrente digital é uma forma de não ter gastos desnecessários e ter mais facilidade na hora de investir.

Atualmente só existe, de forma 100% gratuita, no Banco Inter e, “em breve”, no Nubank.

 

Tabelas de tarifas:

iConta – Banco Itaú

DigiConta – Banco Bradesco

Conta Eletrônica – Banco do Brasil