O que é IPCA? Como funciona?

Seguindo a série “O que é?”, hoje temos uma explicação sobre o IPCA. Vamos lá?

 

O que é?
O que é IPCA? Como funciona?

 

O que é IPCA?

IPCA é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo.

Ele foi criado para verificar a variação do preço de determinados produtos no varejo, referente ao consumo das famílias “médias” (com rendimento de 1 a 40 salários mínimos) e é o índice escolhido para medir a inflação no Brasil.

O IPCA é divulgado de forma mensal pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Então, basicamente, se o preço dos produtos (são 9 itens que servem como base para o cálculo do IPCA) que as pessoas consomem subir, o IPCA também vai subir.

Isto quer dizer que, em cenários que a inflação está alta, caso o seu dinheiro não “cresça” no mesmo ritmo, você perde dinheiro, porque o montante que você tem vai poder comprar menos coisas.

Quer um exemplo prático?

Imagine que você, em janeiro de 2010, tinha R$ 100 e que com esses cem reais era possível comprar 2 camisetas.

Mas imagine, também, que durante o ano todo de 2010, a inflação acumulada foi de 10%.

Isto quer dizer que, em janeiro de 2011, as camisetas estão custando R$ 110 e que você não consegue mais comprá-las com seus R$ 100.

Ou seja, você perdeu seu poder de compra.

É por essa razão que ninguém recomenda “guardar dinheiro embaixo do colchão”, e também é por esta razão que, quando se diz que o objetivo do investimento é somente manter o poder de compra, normalmente, está se falando de um investimento atrelado ao IPCA.

Finalmente, você precisa saber que, se a inflação num determinado mês for menor do que no mês anterior ou no mesmo mês do ano passado, isso não quer dizer os preços vão cair, isto na verdade quer dizer que eles subiram menos se comparados com o mês anterior ou do ano passado.

 

Como é calculado o IPCA?

Como já dito acima, o IPCA é calculado mensalmente para medir a variação do preço de produtos importantes ao consumidor.

São levadas em consideração as seguintes categorias: 1) Alimentação e bebidas, 2) Artigos de residência, 3) Comunicação, 4) Despesas pessoais, 5) Educação, 6) Habitação, 7) Saúde e cuidados pessoais, 8) Transporte e 9) Vestuário.

Assim, o índice varia de conforme oscilarem os preços dos subitens dentro de cada item!

Ainda, é necessário salientar que entram na conta somente os preços praticados nas seguintes cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Recife, Belém, Goiânia, Fortaleza, Brasília, Vitória e Campo Grande.

Isso significa que ele não leva em consideração a realidade de todas as cidades brasileiras.

 

 

O que o IPCA tem a ver com meus investimentos?

O IPCA foi adotado pelo Banco Central como índice para medir a inflação no país.

Assim, é com base no IPCA que o governo elabora a meta de inflação e define as políticas públicas monetárias e as ações que vão ser tomadas na economia brasileira.

Desta forma, o IPCA influencia de forma indireta todos os investimentos, porque uma hora acaba afetando a própria SELIC.

No mais, existem investimentos que são remunerados com base no IPCA.

São títulos que, na maioria das vezes, são utilizados para proteger o dinheiro do investidor para que ele não seja corroído pela inflação.

São exemplos os títulos indexados ao IPCA: Tesouro IPCA+ (NTNBs), LCIs, LCAs, CDBs e até fundos de investimento!

Vale ressaltar que, dependendo do cenário econômico, os investimentos que rendem conforme o IPCA podem ter bons rendimentos e até superar os que são atrelados ao CDI!

Esse é um cenário que está acontecendo atualmente (novembro de 2017).

A taxa SELIC caiu de forma significativa e, quem investiu em títulos que rendem X%+IPCA, está vendo um rendimento maior nesta parcela da carteira. (Onde X não é um valor absurdamente baixo).

 

Qual a razão do IPCA e os preços subirem? O que causa a inflação?

Genericamente falando, os preços sobem porque os custos de produção sobem ou porque os fornecedores e/ou intermediáros estão lucrando mais.

No entanto, há questões muito mais sensíveis embutidas nesta discussão como, por exemplo, gestão pública (no que se refere ao controle de gastos e devida administração dos recursos públicos).

Discussões políticas de lado, a inflação se eleva quando o governo gasta mais do que arrecada.

Assim, a melhor solução para manter a inflação controlada seria uma gestão harmônica dos recursos públicos (sem desvio de dinheiro público, por exemplo).

Isto, em última instância, promove uma reação em cadeia na economia trazendo mais investimentos ao país e possibilitando mais incentivos aos produtores e fornecedores, o que reduziria o preço praticado.

 

Conclusão

IPCA é o índice que foi escolhido para medir a inflação.

Além disso, também é utilizado como referência de remuneração de vários tipos de investimentos (Tesouro Direto, Fundos de Investimento, LCIs, LCAs, CDBs e etc)

É importante acompanhar a inflação para saber o quanto sua carteira tem de rendimento real (rendimento bruto subtraindo a inflação), pois ela vai afetar diretamente seus gastos mensais.

Portanto, é necessário estudar para conseguir sempre as melhores opções que se adequam à sua estratégia!

 

Isso é tudo, espero ter esclarecido um pouco sobre o IPCA e um grande abraço!

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *