O que é CDI? Como funciona?

Olá, meu amigo!

Hoje começo a série de posts chamada de “O que é?” onde vou trazer definições e tentar deixar o mais claro possível alguns nomes e termos que a gente sempre ouve e lê quando fala sobre investimentos.

O que é CDI?

 

O que é CDI?

CDI nada mais é do que uma sigla para Certificado de Depósito Interbancário.

De forma bem simples, o CDI é um mecanismo que os bancos usam para não fecharem o dia com saldo negativo, ele serve para fazer o mercado financeiro funcionar de forma harmoniosa, porque um banco que recebeu muitos depósitos pode, no mesmo dia, emitir um CDI em favor de um banco que teve muitos saques.

 

Como funciona o CDI?

O CDI serve como referência (benchmark) para rentabilidade de diversos tipos de investimento, tanto em renda fixa quanto em renda variável, por esta razão ele é de suma importância para nossos investimentos.

Isto ocorre porque, por ele ser um instrumento de empréstimo rápido entre instituições financeiras, ele é tido como sinônimo de risco mínimo no questão de empréstimo (risco de não receber).

 

O que o CDI tem a ver com meus investimentos?

O CDI, como dito acima, é uma referência para muitos tipos de investimento.

Você com certeza já viu algum investimento que rende X% do CDI ou que tem como objetivo superar o CDI.

Isto quer dizer que o investimento rende uma porcentagem fixa com base no valor do CDI ou busca render mais que o CDI. O valor do CDI pode ser conferido no site da CETIP.

Como exemplo, imagine que  você investiu numa LCI (Letra de Crédito Imobiliário) que paga 90% do CDI. Isto quer dizer que o dinheiro que você aplicar vai render 0.9 vezes o CDI.

Para se ter uma idéia, hoje (01/11/2017), o CDI é de 7,39% ao ano. O que significa que o seu investimento vai render 6,65% ao ano.

 

Como é calculada a taxa DI ou CDI?

A forma com o CDI é calculado é complexa.

Calma, você não precisa ficar preocupado com cálculos complicados porque, em regra, o CDI acompanha a SELIC e é sempre um pouco menor.

A razão para o CDI acompanhar a SELIC é simples, mas parece complicada. Os bancos, ao emprestarem ou tomarem dinheiro público emprestado, estão sujeitos à SELIC.

Por outro lado, quando negociam empréstimos entre si (banco com banco) estão lidando com o CDI.

Se houvesse uma diferença muito grande entre as duas taxas, seria possível auferir lucro emprestando dinheiro que o próprio banco pegou emprestado (arbitragem).

No entanto, se um banco faz isso os outros bancos logo percebem, o que faria que as taxas entrassem em equilíbrio novamente com base na lei da oferta e da demanda.

 

O rendimento de investimentos de porcentagem do CDI é baixo?

Não.

Na verdade, o que acontece hoje é que houve uma queda contínua da SELIC (e por consequência do CDI), tal fato acarretou na perda de rentabilidade dos investimentos pós-fixados (que são atrelados ao CDI).

Mas, como o próprio nome diz, são investimentos pós-fixados, ou seja, da mesma forma que a rentabilidade está baixa HOJE, pode ser que durante o prazo do seu investimento as taxas subam e seu rendimento aumente.

Assim, não se deixe enganar, a remuneração atual não é das mais atrativas, mas, ainda assim, continua sendo uma alternativa melhor que a poupança ou deixar o dinheiro parado.

Deixe seu comentário caso tenha dúvida, sugestão, crítica ou caso queira apenas deixar uma mensagem!

Um grande abraço.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *