CDB – Certificado de Depósito Bancário – o que é? Vale a pena?

O que é CDB – Certificado de Depósito Bancário – conheça um dos melhores investimentos atualmente.

 

Vamos conhecer o que é CDB, como funciona e se vale a pena!
Hoje vou trazer informações para você conhecer um pouco mais o CDB!

O que é o CDB e como funciona?

CDB nada mais é do que Certificado de Depósito Bancário.

É um título de renda fixa privado que está entre os mais negociados, tendo em vista a sua versatilidade e fácil acesso.

No CDB o investidor (você) empresta o dinheiro para o banco que vai o recompensar pagando os juros.

O banco, por sua vez e com o seu dinheiro em caixa, empresta para uma terceira pessoa, que vai pagar juros muito mais altos ao banco.

Desta forma, basicamente, o banco vai ganhar dinheiro usando o seu dinheiro e te dando parte do lucro, funcionando como um intermediário entre quem investe (você) e quem precisa de empréstimo.

O CDB é um investimento versátil porque existem CDBs com aplicação mínima baixa e mais alta, com vencimentos curtos e longos (inclusive com liquidez diária).

 

Qual o risco de investir em CDB?

Assim como nas LCIs, o risco é baixo, pois é um título que é garantido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) até o limite de R$ 250.000,00 por CPF por banco.

Como você pode já ter percebido, o FGC ajuda a ter uma confiança e buscar por taxas melhores, não é?

Só não se esqueça de conferir a saúde financeira do lugar onde você pretende investir!

Ainda, há o risco da liquidez, ou seja, você pode precisar do dinheiro antes do vencimento.

No caso dos CDBs, existem algumas opções com liquidez diária.

Isto significa que você pode resgatar o valor investido quando precisar e sem ter um ônus por isso.

Claro que há um preço e, normalmente, os CDBs com liquidez diária tem rendimento abaixo daqueles que são “engessados” (com prazo de vencimento maior e que não é flexível).

 

Existem tipos de CDB?

Sim, existem os CDBs pré-fixados, os pós-fixados e os mistos.

Assim como nas LCIs, os CDBs pré-fixados são aqueles onde você sabe qual é a taxa de juros que você vai receber durante o período de validade do seu investimento.

Como exemplo, se você investir num CDB que paga 12% ao ano, já sabe qual a rentabilidade que terá ao final e, por isso, é pré-fixado.

Já nos CDBs pós-fixados, o seu investimento vai ser atrelado ao CDI, normalmente em porcentagem do CDI.

Logo, se antes do vencimento do seu título o CDI oscilar, o rendimento vai acompanhar esse movimento.

Vale lembrar o que já escrevi no artigo sobre as LCIs: “Não há meio de falar se a modalidade pré-fixada é melhor que a pós ou vice-versa.

Isto ocorre porque o mercado é dinâmico e muda o tempo todo.

Se você acredita que os juros vão cair e estamos num momento de alta, pode ser a hora de “travar” um pouco do seu dinheiro num investimento pré-fixado.

No entanto, se a expectativa é que os juros subam mais, é muito melhor investir num título pós-fixado, porque os seus rendimentos vão aumentar conforme os juros sobem.”

Finalmente, existem alguns CDBs que são mistos e pagam uma porcentagem fixa somada a algum outro fator, como o IPCA.

Apesar de serem um pouco mais complexos, o funcionamento é o mesmo!

 

Qual é a tributação que incide sobre os CDBs?

Diferentemente das LCIs e LCAs, há cobrança de imposto de renda sobre os rendimentos do CDB.

Esta cobrança é feita de forma regressiva e começa com a alíquota de 22,5% para investimentos com prazo inferior a 180 dias e vai até 15% para aplicações com prazo acima de 720 dias.

A alíquota é de 20% para investimentos feitos de 181 a 360 dias e é de 17,5% para aplicações feitas entre 361 a 720 dias.

A cobrança do Imposto de renda fica assim:

  • 22,5% se deixar investido menos de 180 dias
  • 20% se deixar investido de 181 dias até 360 dias
  • 17,5% se deixar investido entre 361 dias a 720 dias
  • 15% se deixar investido mais de 721 dias

Isto faz com que os CDBs tenham vantagem ao longo do tempo, porque a alíquota cai para o mínimo após 2 anos.

Ademais, há a cobrança de IOF caso você retire seu dinheiro antes de completar 30 dias de aplicação.

A cobrança do IOF também é feita de forma regressiva (a alíquota é de 96% no primeiro dia e no trigésimo dia é de 0%).

Portanto, não é vantajoso investir num CDB, mesmo se for de liquidez diária, e sacar o valor antes que complete 30 dias de investimento!

Existe taxa de administração ou alguma outra cobrança?

Não há taxa de administração ou qualquer outra cobrança para investir em CDBs!

Vale lembrar que aqui é você quem está emprestando dinheiro ao banco!

Portanto, a única coisa que “vale a pena” pagar são os tributos, IOF e IR, pois de resto não deve haver cobrança!

 

Oras, mas como o banco ganha dinheiro com isso?

Veja bem, se o banco pega dinheiro emprestado de você pagando 12% ao ano de juros, é porque, provavelmente, ele empresta cobrando 40% ao ano de quem precisa desse dinheiro.

Assim, veja que não há muito segredo, você empresta dinheiro ao banco para que ele lucre com isto, este é o custo do seu investimento!

 

Como investir em CDB?

Existem duas maneiras.

A melhor maneira, na minha opinião, é abrir conta de investimento diretamente nas instituições financeiras, porque assim você não tem intermediário e garante sempre as melhores taxas.

Mas há quem prefira fazer tudo por corretoras, pois não gosta de administrar diversas contas e senhas, isto é questão de preferência.

Particularmente, eu prefiro anotar as contas e senhas do que pagar uma porcentagem do meu rendimento para terceiros, sendo que eu poderia fazer o mesmo trabalho com facilidade.

Exemplos de instituições que oferecem CDB em diversos prazos de vencimento e taxas:

www.bancointer.com.br

www.daycovalinveste.com.br

www.sofisadireto.com.br

E também as corretoras:

www.easynvest.com.br

www.xpi.com.br

www.orama.com.br

Vou elaborar uma lista em breve!

 

Conclusão

CDB, assim como a LCI, é um bom investimento para qualquer carteira de renda fixa.

Normalmente possui taxas bem atraentes, mas há cobrança de imposto de renda!

Como dica, vale sempre lembrar que, normalmente, para prazos mais longos, o CDB vale mais a pena porque a alíquota do Imposto de Renda diminui de forma gradativa e atinge o mínimo com 2 anos de investimento!

Assim, é sempre bom comparar os seus possíveis investimentos para sempre conseguir o melhor rendimento para o seu dinheiro!

 

TL;DR: CDB é um investimento seguro, simples e que vale a pena para prazos longos por conta da redução gradual do IR.

 

Um grande abraço!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *